Simbolismos

O cabeçalho antigo

cropped-cabec3a7alho-definitivo-logosgrafia2.jpg

Em boa hora!

Depois de muito modificar, chegamos ao cabeçalho que, por falta de profissionais que o redesenhasse, não foi o definitivo do Logosgrafia.com: uma sala de aula. Com simbolismos que deverão ser explicados, na intenção de que todos possam ter um olhar mais profundo para tudo o que é passível de ser observado.

Da direita para a esquerda, vemos a porta. Ela representa a passagem. Entramos e saímos de vários ambientes por meio de portas. Elas indicam as possibilidade, as escolhas.

Em seguida, observamos um armário fechado, indicando os segredos guardados pela mente humana. Estes aludem à incógnita sobre o material que cada um tem guardado e sobre o qual atua para investigar, conhecer e refletir o mundo. Acima, alguns poucos arquivos à mostra. Estes são os pensamentos que escolhemos mostrar e compartilhar com os parentes, amigos e/ou com toda a sociedade.

Na sequência, as cadeiras vazias. Elas representam um espaço mais ou menos organizado, reservado para quem pretende utilizar a sala. Elas estão vazias, indicando que, ainda que haja uma ordem e uma disciplina, estes são princípios efêmeros e ninguém está totalmente preso às regras.

Na parede, pelas janelas, pode-se olhar a bela paisagem, que representa o mundo. As árvores indicam o amadurecimento das ideias; o céu e as nuvens, a divagação, os sonhos e as mudanças.

O mapa representa o mundo conhecido. O relógio, que funciona seguindo um consenso, principalmente, ao observarmos os diferentes calendários,  indica as limitações criadas pelas sociedades, ao longo do tempo.

A mesa do professor, também vazia, indica que todos podem aprender e ensinar.

A lixeira, logo abaixo, mostra que, em um ambiente propício para que todos aprendam, o erro é esperado, pode e deve ser jogado fora.

A mesa e a estante do conhecimento, com livros, cadernos, um computador e uma maçã, indica que há várias formas para registrar as reflexões e que nenhuma mídia é mais importante que a outra. O verde do fruto sustenta a hipótese de que o conhecimento nunca estará pronto e acabado, maduro. Deste local, em particular, observamos uma luminosidade de forma radial, que se expande por toda a sala e que, possivelmente, estende-se ao mundo.

A lousa, a frente da sala, mostra a possibilidade de que tudo que se sabe e compreende pode ser compartilhado com os demais, não sendo os registros definitivos, visto que é possível apagá-los e recomeçar.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s